Antônio Marcos Marques, diretor do PROCON ressalta a importância da participação de douradenses no conselho dos usuários das empresas de telefonia. (Foto: A. Frota/Assecom)

Nesta segunda-feira foi publicado o resultado das eleições para membros dos Conselhos de Telefonia das operadoras VIVO/TELEFÔNICA, OI, TIM, CLARO e SKY, sendo que de Dourados foram eleitos representantes para 10 vagas.

O PROCON de Dourados ficou com representação nos Conselhos da VIVO, TIM, CLARO e SKY; a Defensoria Pública com representação nos Conselhos da VIVO e da CLARO; a Vereadora Daniela Hall como participante do Conselho da VIVO; a APROCONSMS (Associação dos Procons de Mato Grosso do Sul, sediada em Dourados e presidida por Rozemar Mattos) com cadeira no Conselho de Usuários da VIVO e o Procurador do Município e servidor do PROCON Rozemar Mattos Souza com cadeira no Conselho da OI e da VIVO.

“Com bastante representantes nos Conselhos de Telefonia, a região da grande Dourados com certeza terá melhoria no serviço de telefonia”, disse diretor do PROCON de Dourados, Antônio Marcos Marques.

Na opinião do diretor a participação do PROCON nos Conselhos em muito contribuirá para resolver as reclamações dos consumidores de Dourados e propiciará a melhoria do serviço num todo e tendo ainda a oportunidade de ofertar sugestões no sentido de dar excelência ao serviço de telefonia na região.

Os Conselhos de Usuários são espaços de participação social, formados por cidadãos brasileiros e representantes de órgãos e entidades de defesa do consumidor. Os Conselhos têm caráter opinativo, com função de avaliar os serviços e a qualidade de atendimento das prestadoras, apresentar propostas e sugestões

para a melhoria dos serviços, bem como disseminar ações orientativas sobre direitos e deveres dos usuários.

As ações desempenhadas pelos Conselhos servem como subsídio e insumo para o trabalho desenvolvido pelo Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações (CDUST).

De acordo com a Resolução nº 623/2013 (ANATEL), os conselhos serão compostos por até 12 conselheiros, sendo que seis vagas são destinadas a órgãos e entidades que atuam na defesa do consumidor e outras seis aos usuários dos serviços.